Marcelo Silva Sader

NetVet News

Zoobiquidade, a surpreendente conexão entre a saúde animal e a humana

Livro fala sobre as semelhanças entre doenças dos humanos e de outros animais

  ago 20, 2015     18:05
Zoobiquidade, a surpreendente conexão entre a saúde animal e a humana
Barbara Natterson-Horowitz, cardiologista e professora na University of California, Los Angeles - UCLA inspirou-se em uma consulta no jardim zoológico de Los Angeles. Seu paciente não era da espécie que costumava atender, um humano, e sim um macaco. Identificou que ele sofria dos mesmos sintomas de insuficiência cardíaca que seus pacientes humanos e desde então, embarcou em um projeto que iria remodelar sua maneira de praticar a medicina.

Barbara procurou saber se toda aflição que ela encontrava em humanos acontecia também com os animais. Dinossauros sofreram de câncer no cérebro, coalas podem pegar clamídia, renas buscam escapar do efeito narcótico em cogumelos alucinógenos, garanhões se auto-mutilam, e gorilas sofrem de depressão clínica.

Estas constatações são, de certa maneira, óbvias para muitos veterinários. Eu costumo dizer que todo veterinário tem um "Q" de animal. Acredito que para a maioria dos profissionais que trabalham com animais, não só os veterinários, aceitam de maneira tranquila a natureza animal do ser humano.

A partir da iniciativa da Dra. Barbara, criando o termo Zoobiquity, os médicos começaram a valorizar a importância de trabalhar junto com veterinários, e assim entender melhor as doenças, na medida em que podem observar como todos os animais do planeta vivem, crescem, adoecem e se curam.

Zoobiquity Conference

O evento foi projetado para reunir principais médicos e cientistas, tanto na medicina humana quanto na veterinária, para discutir as mesmas doenças em um amplo espectro de espécies animais e seres humanos. A intenção desta conferência inter-disciplinar é criar conversas e estimular as relações entre colegas médicos de humanos e veterinários, confrontados com desafios clínicos semelhantes.

"Ao cruzar disciplinas dessa maneira, podemos expandir significativamente a perspectiva de médicos, cientistas e pacientes sobre esses transtornos comuns e problemas de saúde mais amplos."
Zoobiquity Conference
Em 2015, o evento ocorreu em Boston, Massachusetts, EUA, no mês de abril. Temas como obesidade, linfoma, autismo e medicina esportiva, foram discutidos sobre a ótica de cães, gatos, equinos e humanos.

Mas existe uma grande diferença que deverá ser bastante discutida nos próximos anos em conferências e encontros como estes: Todos os médicos cuidam dos humanos visando preservar a vida, e alguns veterinários trabalham na área de produção animal, onde são criados para entregar suas vidas para alimentar o animal homem.

O paradoxo parece não ter solução. O ser humano é capaz de estudar e pesquisar sobre doenças de animais, unindo profissionais que trabalham na área de saúde animal e humana. Mas submete os mesmos animais a crueldades como aquelas observadas na criação de frangos, suínos, bovinos, rãs, e tantos outros.

Veja mais:
Veterinários e médicos deixam seus preconceitos de lado para trabalharem juntos





Autor

Marcelo Silva Sader

Médico veterinário com especialização em análise de sistemas. Foi um dos precursores no desenvolvimento de sistemas para veterinários. Atualmente escreve para o NetVet News e trabalha em aplicativos e aplicações web para o mercado veterinário.

Relacionados

Comentários

Este post não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

 


  Respondendo ...