Regina Ripamonti

Atualidades e Meio Ambiente

Vivissecção X Objeção de Consciência

A prática vivisseccionista seria realmente fundamental à aprendizagem ou é apenas mais um negócio lucrativo

  mar 05, 2015     23:03
Vivissecção X Objeção de Consciência
As mais avançadas instituições de ensino de medicina na Europa, não utilizam mais animais, nem mesmo em matérias práticas como técnica cirúrgica e cirurgia. Na Itália mais de um terço das universidades abandonaram a utilização de animais para fins didáticos. Na Inglaterra e Alemanha, a utilização de animais na educação médica foi totalmente abolida. Nos EUA, 70% dos cursos de medicina já não utilizam animais vivos nas aulas práticas, dentre elas Harvard, Stanford e Yale.

Em universidades brasileiras, a experimentação animal na Educação ainda ocorre com várias finalidades. Destacando-se a observação de fenômenos fisiológicos e comportamental a partir da administração de drogas; estudos comportamentais de animais em cativeiro; conhecimento da anatomia interna; e desenvolvimento de habilidades e técnicas cirúrgicas. Esses experimentos ocorrem comumente em cursos de Medicina Veterinária, Biologia, Odontologia, Psicologia, Química, Medicina Humana, Educação Física, Enfermagem, Farmácia e Bioquímica.

Segundo Sérgio Greif e Thales Tréz em seu livro, A Verdadeira Face da Experimentação Animal, a vivissecção é um dos negócios mais lucrativos do mundo. A manutenção dos laboratórios, a compra de aparelhos para a realização das pesquisas e estudos, a compra dos animais, gaiolas e aparelhos de contenção, rações, entre outros gastos envolvidos podem vir a ser a explicação para a insistência em se manter atualmente, a mesma prática, pois muitas vezes o próprio gasto gera lucros financeiros e políticos.

Arrisco dizer que, a Educação no Brasil também nesse aspecto é engessada pela resistência dos profissionais em aderir às novas propostas, principalmente tendo em vista que grande parte têm em sua percepção, que a vivissecção seja a melhor alternativa.

Essas práticas vêm sendo severamente criticadas com argumentos de ordem ética, em alguns casos técnica. Uma vez em que atualmente já se encontram disponíveis recursos em favor de uma educação mais inteligente, responsável e principalmente humanitária.

Pode-se utilizar para o estudo de anatomia, animais que morreram naturalmente, ou que sofreram eutanásia por motivos clínicos, ou em acidentes. Para estudos em que se necessita do uso de animais vivos, a prática clínica é o método mais humanitário, além de útil. Em cursos de veterinária, por exemplo, a habilidade cirúrgica é aprendida pelos estudantes através de operações supervisionadas, em "hospitais escola".

A adoção de métodos alternativos mantém a educação atualizada e sincronizada com o progresso tecnológico, com o desenvolvimento de métodos de ensino e contribuem para o pensamento ético. Algumas alternativas computadorizadas podem ser altamente interativas e incorporar outros meios como gráficos de alta qualidade, filmes, realidade virtual e multimídias. Essas alternativas permitem muitas vezes a adaptação à variação biológica e a inclusão de dados experimentais.

Vivissecção = Vivi => vivo e secção => cortar. Literalmente significa cortar um animal vivo. A vivissecção é o ato de dissecar um animal vivo com o propósito de realizar estudos de natureza anátomo-fisiológica e com motivações científico-pedagógicas. Atualmente, ela pode ser invasiva ou não-invasiva, esta última ocorre quando se induz em um animal vivo, um determinado estímulo a fim de obter uma resposta.

Objeção de consciência ou escusa de consciência - é um comportamento não violento de resistência, por razões de consciência, com a finalidade da obtenção de uma desoneração pessoal, mas com o cumprimento do atendimento do dever legal em forma alternativa, sem que haja a presença necessária do desejo de mudança da norma especificamente contestada. É um instrumento democrático que permitiria o exercício pleno da cidadania, sem a pratica da violência contra os seus próprios princípios.

Sob o aspecto legal, o cidadão brasileiro tem, aparentemente, o direito à objeção de consciência garantido e consagrado pela legislação brasileira, de acordo com a Lei Nº 9.605/1998, Art. 32 e da Constituição, Art. 5º. Parecendo redundante e desnecessário o pedido "À Objeção de Consciência Como Escusa ao Princípio Constitucional Insculpido no Art. 9º, § 1º da Constituição Estadual", referente ao Projeto de Lei nº 2374-A de 2013 mas que, a propósito, foi vetado integralmente pelo Sr. Governador do Rio de Janeiro.

Todavia, mostra-se relevante para garantir a efetiva proteção daqueles que possuem a escusa de consciência, que Estados e Municípios venham a regulamentar a matéria de forma supletiva, incluindo seus aspectos e que se criem órgãos auxiliadores que garantam a devida proteção desse direito fundamental.

Com uma legislação ainda incipiente, surgem desta forma, vítimas relacionadas ao problema, que devido ao prejuízo de direito à objeção de consciência, acabam por esse motivo, prejudicando seus estudos, para não terem o seu sentimento ético violado.

Saiba mais:
Lei Federal n.º 11.794/2008 (Lei Arouca) - Procedimentos para o uso científico de animais

Objeção de Consciência - site de apoio e instruções a alunos
Uso De Animais Na Pesquisa: Como A Ciência Tem Buscado Métodos Alternativos?

Assine:
Petição pelo fim da vivissecção




Autor

Regina Ripamonti

Formada em Biologia e Pedagogia e com mais de 25 anos de atuação na área de Educação, Regina Ripamonti usará seu espírito investigativo e crítico para trazer assuntos de interesse veterinário e de educação ambiental, na busca de redefinição das relações do ser humano com o meio ambiente e a reafirmação de sua interdependência.

Relacionados

Comentários

  1. visitante

    Marcela     fevereiro 11, 2017    17:47

    Responder

    Oi obrigada por falar disso, era TOTALMENTE LEIGA no assunto não sabia que existia uma lei p nos respaldar do sofrimento, e isso gerava até em mim um sofrimento pois optei por Química mas msm assim vi que tbm tem animais no meio e não curto, não queria desde pequena nem Medicina por isso pensando que seria obrigada a tal ato horroso. Obrigada agora será melhor p mim pois escolhi Farmácia e jamais vou mexer com os animais p isso.

    1. Regina     fevereiro 22, 2017    22:11

      Agradeço-lhe também e peço que se possível, nos ajude a divulgar esse conteúdo. Grata!

      visitante

Deixe seu comentário

 


  Respondendo ...