Marcelo Sader

Produção Científica

Topografia do cone medular da irara e sua relevância em anestesias epidurais

Estudo descreve a morfologia do sistema nervosa da Eira barbara e sugere técnica para prática de anestesia epidural nestes animais.

  fev 16, 2015     21:17
Encontrada principalmente na América do Sul, a irara é um carnívoro pertencente à família Mustelidae, a qual pouco se tem informações sobre sua morfologia de forma geral. Diante disso, objetivou-se conhecer melhor parte do sistema nervoso desta espécie, mais precisamente a topografia do cone medular, a fim de subsidiar intervenções anestésicas peridurais nesta, uma vez que a clínica de animais selvagens vem crescendo a cada dia.

Descrever a morfologia do sistema nervoso de animais selvagens é de suma importância para a clínica e cirurgia de espécies que pouco se tem conhecimento quanto a sua anatomia, de forma que nesse estudo em especial, podemos identificar a melhor abordagem para anestesias epidurais e subaracnóideas na irara.

Foram estudados três exemplares machos, adultos, provenientes da área de Mina Bauxita, Paragominas, doados ao Laboratório de Pesquisa Morfológica Animal (LaPMA), Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), Belém, os quais foram radiografados e dissecados ao nível lombossacral, seguido de exposição do cone medular. Este, por sua vez, situou-se entre L4-L6 possuindo comprimento médio de 4,31cm, o que nos levou a sugerir a região sacrococcígea como ponde ideal para prática de anestesias epidurais nesta espécie.

Fonte: Pesq. Vet. Bras. vol.33 no.6 Rio de Janeiro jun. 2013




Autor

Marcelo Sader

Médico veterinário com especialização em análise de sistemas. Foi um dos precursores no desenvolvimento de sistemas para veterinários. Atualmente escreve para o NetVet News e trabalha em aplicativos e aplicações web para o mercado veterinário.

Comentários

Este post não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

 


  Respondendo ...