Marcelo Silva Sader

Produção Científica

Pecuária, metano e a suposta participação da bovinocultura no aquecimento global

A tese antropogênica do aquecimento global não é consenso entre os cientistas, e ainda assim pesquisas analisando emissão de metano por bovinos continuam sendo conduzidas por pesquisadores do Brasil

  mar 30, 2015     12:51
Pecuária, metano e a suposta participação da bovinocultura no aquecimento global
A todo momento notícias são publicadas no mundo, apresentando dois pontos de vista. Um grupo de cientistas defende que o aquecimento global é um fenômeno 100% natural e outro defende que é oriundo de ação a humana.

Em 26 de janeiro de 2015, vários cientistas brasileiros, assinaram a "Carta aberta ao ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo". A lista de signatários impressiona. São pesquisadores, mestres, doutores, professores, da Universidade de São Paulo (USP), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Instituto de Tecnologia de Aeronáutica (ITA), Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), Unicersidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade de Brasília (UnB), e muitas outras universidades e institutos de pesquisa.

Após uma pequena introdução, o documento lista uma série de considerações apresentadas "... com a expectativa de que possam aportar subsídios relevantes para a atuação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) nessa área."

Na primeira consideração já fica claro a disposição em rebater a tese antropogênica do aquecimento global. "Não há evidências físicas da influência humana no clima global". Concluí que, sendo assim, não devemos nos preocupar com os chamados Gases de Efeito Estufa (GEE)! E mais, todas as pesquisas relacionadas com a emissão de metano decorrente da atividade pecuária não fazem o menor sentido. Desperdício de dinheiro público. Nosso dinheiro!

Alguns dos cientistas signatários da carta mantém o blog FakeClimate. Navegando pelos artigos é possível encontrar mais evidências contrárias à tese antropogênica do aquecimento global.

Recomendo a leitura de um em particular. A tese de doutorado de Daniela de Souza Onça, apresentada ao Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, em 2011, para obtenção do título de Doutora em Geografia.

Concluímos que a hipótese do aquecimento global antropogênico não é consensual e exerce hoje a função de ideologia legitimadora do capitalismo tardio, perpetuando a exclusão social travestindo-se de compromisso com as gerações futuras.
Dra. Daniela de Souza Onça

Certamente a discussão continuará aquecida por muito tempo. Abaixo estão minhas recomendações para aqueles que se interessarem pelo assunto. Divirtam-se!

"Carta aberta ao ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo

"Quando o sol brilha, eles fogem para a sombra...": a ideologia do aquecimento global
Tese de doutorado de Daniela de Souza Onça, apresentada ao Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo

Entendendo melhor a variabilidade da emissão de metano entérico pelos animais
Pesquisadores do Instituto de Zootecnia de São Paulo avaliaram a emissão de metano nas diferentes fases do ciclo de produção de bovinos de corte.

Emissões de gases de efeito estufa provenientes da bovinocultura
Pesquisadores da Itália e Estados Unidos seguem diretrizes do IPCC para estimar emissão de gases de efeito estufa por bovinos.

Conheça também:
FakeClimate.
Whatts Up With That?




Autor

Marcelo Silva Sader

Médico veterinário com especialização em análise de sistemas. Foi um dos precursores no desenvolvimento de sistemas para veterinários. Atualmente escreve para o NetVet News e trabalha em aplicativos e aplicações web para o mercado veterinário.

Comentários

Este post não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

 


  Respondendo ...