Regina Ripamonti

Atualidades e Meio Ambiente

MonkeyGate

Primate Products, uma fábrica de mentiras

  mai 05, 2015     16:52
MonkeyGate
Uma empresa no condado de Hendry, Flórida, chamada Primate Products, tem chamado atenção, por mentir e tentar enganar a opinião pública em relação a suas atividades. A mídia e os críticos vêm chamando o escândalo, de "MonkeyGate".

A empresa cria macacos para experimentos e fabrica equipamentos para laboratórios de primatas, afirmou em uma recente carta ao Condado que segue a lei. Porém, há evidência em contrário. O TheirTurn (Movimento Pela Justiça Social dos Nossos Tempos) afirma categoricamente que a empresa vem enganando o público.

Um denunciante informou que a Primate Products extraía fetos de macacas prenhes, para colher e vender seus órgãos. Ao tomar conhecimento, o administrador do condado afirmou que tal procedimento viola a lei de zoneamento. Antes de autuar a empresa, foi solicitado que essa divulgue agora todas as suas atividades.

A Primate Products também arrendou terras para a Bioculture, empresa de criação de macacos, que foi expulsa de Porto Rico onde seu criatório já violava as leis de zoneamento. Um aviso no portão da Bioculture afirma que a empresa realiza testes e pesquisas, portanto também viola leis de zoneamento do condado onde está instalada atualmente.

Em sua carta de resposta, a Primate Products, afirma que os abortos são permitidos no zoneamento agrícola e minimiza as cirurgias invasivas, referindo-se a elas como "coleta de tecido fetal."

O denunciante também havia informado que os procedimentos de aborto foram realizados por técnicos veterinários da Primate Products, que não são formados nem treinados para realizar cirurgias. A empresa alegou à mídia que seu negócio é isento de regulamentação de lei. De acordo com a American Veterinary Medical Association (AVMA), técnicos veterinários não podem diagnosticar, prescrever, realizar cirurgias ou envolver-se em qualquer atividade proibidas por uma lei estadual de prática veterinária.

Ainda, apesar de alegar ser uma empresa ética, que prioriza os interesses dos animais, vem importando milhares de macacos adicionais para uma expansão já parcialmente concluída das instalações de criação de macacos no terreno de propriedade da Primate Products.

Novamente a Primate Products, afirma que a importação só ocorreu de macacos criados em cativeiro. Porém, a Animal Rights Foundation of Florida (ARFF) descobriu documentos do United States Department of Agriculture (USDA), provando que a empresa importou macacos capturados selvagens e a Primate Products foi forçada a admitir a mentira.

Em entrevista ao News Press, o presidente da Primate Products, Jeff Rowell, tentou justificar a captura de macacos dizendo que os animais estariam agora a salvo de caçadores ilegais. No entanto, a caça ilegal é exatamente a forma como a Primate Products adquiriu muitos de seus macacos e com certeza essa empresa não é um local saudável para a permanência e criação de macacos.

Alguns macacos potencialmente seguros na Flórida, foram os que escaparam da Primate Products e de outras instalações de reprodução de macacos. Porém, essas fugas representam um risco à saúde pública da população humana na região, onde macacos fugitivos se reproduzem, podendo transmitir o vírus do herpes tipo B, além de outras doenças e tem o potencial de tornar-se uma espécie invasora e comprometer o ecossistema.

A Primate Products alega que a última fuga de macacos ocorreu há três anos. Curiosamente, essa empresa é a responsável pela fabricação de equipamentos para contenção ou limitadores de movimentos de sistemas polo e colar. De acordo com Jeff Rowell, representante da Primate Products, os limitadores oferecem "livre acessibilidade", e os polos e colares, que são usados para manipular os primatas, "ajudam os macacos a aprenderem rapidamente sua função" e tornarem-se trabalhadores dispostos, reduzindo a necessidade de usar a força física com o animal ou utilizar contenção anestésica.

Como se pode dizer que esse contentor fornece "acessibilidade sem problemas"? Só resta descobrir a que tipo de criatura, pois qualquer ser com um mínimo de consciência não poderia nunca afirmar isso.

Assista aos videos da The Humane Society of the United States:
Undercover Footage: Monkey Restraint Devices
Undercover at the World's Largest Chimpanzee Laboratory

Leia e saiba mais:
Primate Products: A Company that Breeds Lab Monkeys and Manufactures Lies




Autor

Regina Ripamonti

Formada em Biologia e Pedagogia e com mais de 25 anos de atuação na área de Educação, Regina Ripamonti usará seu espírito investigativo e crítico para trazer assuntos de interesse veterinário e de educação ambiental, na busca de redefinição das relações do ser humano com o meio ambiente e a reafirmação de sua interdependência.

Relacionados

Comentários

Este post não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

 


  Respondendo ...