Marcelo Sader

Produção Científica

Lavado broncoalveolar (LBA) em antas com sinais clínicos de tuberculose

Os resultados podem fornecer ao clínico importantes informações acerca do estado de funcionamento do aparelho respiratório in vivo.

  fev 17, 2015     15:41
Lavado broncoalveolar (LBA) em antas com sinais clínicos de tuberculose
Doenças que afetam os animais selvagens não são claramente definidas. As informações sobre a biologia da anta (Tapirus terrestris) são limitadas a alguns relatos de eventuais casos. O diagnóstico pode ser difícil em animais não domesticados pois não existe um protocolo padrão para estas espécies.

Além disso, o diagnóstico em algumas espécies selvagens pode não ser eficiente quando são utilizados métodos tradicionais. O principal diagnóstico de doença pulmonar em animais silvestres pode ser restrito a achados de necropsia, sobretudo devido à tuberculose. A tuberculose tem sido definida como uma doença causada por espécies do complexo Mycobacterium tuberculosis, que consistem de M. tuberculosis, M. bovis, M. africanum, M. microti e M. canettii .

O presente trabalho descreve a técnica de lavado broncoalveolar (LBA) por endoscopia em antas (Tapirus terrestris) in vivo com sinais clínicos de tuberculose.

A técnica foi realizada em duas antas, um macho e uma fêmea, provenientes do Zoológico de Curitiba, Paraná, Brasil, utilizando-se endoscópio flexível e sonda de polietileno, após a contenção química desses animais. Para o LBA, 60mL de solução fisiológica 0,9% foram infundidos com auxílio de cateter de polietileno, introduzido pelo canal de trabalho do endoscópio, e, aproximadamente, 15mL de LBA foram recuperados, acondicionados, analisados e submetidos à citocentrifugação.

As lâminas foram coradas pelas técnicas de Papanicolau, ácido periódico de Schiff (PAS) e Ziehl- Neelsen, método que contém altas quantidades de células inflamatórias em microscopia (macrófagos 27,5%, linfócitos 0,5%, neutrófilos 67% e eosinófilos 5%). Amostras de LBA foram submetidas a cultura, baciloscopia e PCR e foram negativas em ambos os animais. Concluiu-se, baseado no presente trabalho, que técnica de lavado broncoalveolar é simples, não invasiva, funcional e rápida.

Os resultados pode fornecer ao clínico importantes informações acerca do estado de funcionamento do aparelho respiratório in vivo.

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. vol.66 no.6 Belo Horizonte Dec. 2014




Autor

Marcelo Sader

Médico veterinário com especialização em análise de sistemas. Foi um dos precursores no desenvolvimento de sistemas para veterinários. Atualmente escreve para o NetVet News e trabalha em aplicativos e aplicações web para o mercado veterinário.

Comentários

Este post não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

 


  Respondendo ...