Edson Rodrigues Pereira

Histopatologia

Granuloma tipo corpo estranho

Descrição histopatológica detalhada do granuloma tipo corpo estranho

  ago 04, 2016     17:55
Trata-se de corte histológico de pele fina de rato, que foi utilizado experimentalmente para a indução de granuloma tipo corpo estranho, por meio de transfixação de fio de algodão como pontos simples separados para aproximação de bordos de ferida cirúrgica feita por incisão profunda com bisturi no dorso do animal, com sete dias de evolução de lesão.

O espécime utilizado para exame histopatológico depois de coletado, fixado em líquido de Bouin (fixador com ácido pícrico), devidamente processado, foi corado pela hematoxilina -eosina. Observa-se em menor aumento epiderme com epitélio tipo pavimentoso estratificado queratinizado, com número reduzido de camadas de células.

Na derme subjacente vemos tecido conjuntivo denso não modelado com inúmeros anexos dérmicos, representados por folículos pilosos, glândulas sebáceas e, em menor número, glândulas sudoríparas. Na parte mais profunda do corte, onde já se consegue observar tecido muscular, há evidenciação de inúmeros cortes, sobretudo transversais, de segmentos de fio, caracterizado por exibir inúmeros microfios, circunscritos pela "capa do mesmo". Sugere-se, fechar discretamente o diafragma para que o mesmo possa ser mais facilmente visualizável e com aspecto de refringência.

Quando observamos a periferia do fio anteriormente descrito, vemos o cenário celular que caracteriza a resposta inflamatória crônica granulomatosa à presença do mesmo, onde contemplamos células pequenas e redondas circunscrevendo-o, representadas por linfócitos e macrófagos, associadas à inúmeras células gigantes tipo corpo estranho, de entremeio às mononucleares, mormente, distribuídas na periferia. Esse mesmo tipo de achado se repete ao redor de cada corte do fio utilizado.




Autor

Edson Rodrigues Pereira

O histórico acadêmido do Edson foi construido na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo. Graduado em 1986, concluiu o mestrado em Patologia Experimental e Comparada em 1992 e o doutorado em Patologia Experimental e Comparada em 1996. Atuou como coordenador do curso de Medicina Veterinária nas universidades de Guarulhos e Cruzeiro do Sul, e como professor das universidades Metropolitana de Santos, Anhembi-Morumbi . É membro da Rockefeler Foundation, representada no Brasil pela ABDL (Associação Brasileira para o Desenvolvimento de Lideranças). Atualmente é professor da Universidade Anhembi-Morumbi.

Comentários

Este post não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

 


  Respondendo ...