Regina Ripamonti

Atualidades e Meio Ambiente

Genética

Este espaço tem como objetivo elucidar dúvidas em relação a termos comumente usados em Genética. Ele estará sendo constantemente alterado e enriquecido, conforme forem surgindo necessidade de links em nossos posts.

  jun 12, 2015     00:34
Os termos encontram-se dispostos em ordem alfabética.

Glossário

Alelos - São os genes que se unem para formar uma determinada característica e se encontram no mesmo lócus nos cromossomos homólogos. Os alelos estarão sempre aos pares nos cromossomos, pois um dos alelos é proveniente de um gameta masculino e o outro de um gameta feminino.

Autossômico - designação dada aos genes que se localizam nos autossomas, que são os cromossomos não-sexuais. Portanto quer os indivíduos do sexo feminino quer do sexo masculino poderão ser afetados.

Cromossomo - (Kroma = cor, soma = corpo) cada um dos longos filamentos espiralados de cromatina, presente no suco nuclear das células eucarióticas. São constituídos basicamente por DNA e proteínas.

Dominante - é o gene que determina uma característica, mesmo quando presente em dose simples nos genótipos, como no caso dos heterozigotos.

Epistasia - (do grego epi, sobre, e stasis, parada, inibição) fenômeno em que os alelos de um gene inibem a ação dos alelos de um outro par, que pode ou não estar no mesmo cromossomo. O gene que exerce a ação inibitória é chamado epistático, e o que sofre a inibição é chamado hipostático.

Epistasia dominante - quando a presença de um único alelo epistático é suficiente para causar a inibição do gene hipostático.

Epistasia recessiva - quando o alelo que determina a epistasia atua somente em dose dupla.

Epistático - é o gene que exerce uma ação inibitória sobre um gene hipostático.

Fenótipo - conjunto de características físicas, fisiológicas ou comportamentais, observáveis de um organismo, resultado da interação do genótipo com o ambiente. Ex.: genótipo para pele clara, mas fenótipo de pele morena obtido pela exposição solar.

Gene - são pedaços ou segmentos da molécula de DNA, que possuem a instrução gênica codificada para a síntese de uma proteína ou um polipeptídio. O DNA situa-se nos cromossomos.

Genética - (do grego genno; significa fazer nascer) é a ciência dos genes ou o ramo da biologia responsável pelo estudo da natureza química do material hereditário, isto é, o mecanismo de transferência das informações contidas nos genes, compartilhados de uma geração a outra, seja, pela transferência das características morfológicas, fisiológicas, bioquímicas ou condutoras que transmitem-se, geram e expressam-se sob diferentes condições ambientais.

Genótipo - é o conjunto de todos os genes ou a constituição gênica de um organismo. São comumente representados por letras, que simbolizam determinados genes.

Heterozigoto ou Heterozigótico - indivíduo que possui os dois alelos diferentes entre si para uma determinada característica. Também chamados de híbridos; resultam gametas diferentes.

Hipostático - é o gene que sofre uma ação inibitória causada por um gene epistático.

Hipótese de Mary Lyon - Essa hipótese admite que o Corpúsculo de Barr resulta da inativação aleatória do segundo cromossomo X, que passa a ser denominado cromatina sexual. A inativação ocorre nas primeiras divisões do zigoto e as células descendentes daquela em que ocorreu a inativação terão o mesmo cromossomo inativado.

Homozigoto ou Homozigótico - indivíduo que possui os genes alelos idênticos para uma determinada característica, resultando apenas um tipo de gameta.

Lócus Gênico - Posição ocupada por um gene no cromossomo.

Mosaicismo - fenômeno onde um indivíduo apresenta duas ou mais linhagens celulares que são derivadas de modificações em células de um único embrião em decorrência da perda ou duplicação de cromossomos. Nesse caso, o indivíduo apresentará algumas células geneticamente idênticas às iniciais e outras que serão resultado dessas modificações.

Quimerismo - fenômeno onde um indivíduo é formado a partir da fusão de células de dois ou mais zigotos. Esse indivíduo terá algumas áreas formadas por células de um zigoto e outras áreas formadas por células do outro zigoto, como uma espécie de colcha de retalhos.

Recessivo: é o gene que somente se expressa quando presente em dose dupla. Nos heterozigotos ocorre a presença de um dominante e este se torna inativo. Ele não consegue se manifestar porque a proteína produzida pelo gene recessivo é "defeituosa" e muitas vezes não funcional.

Síndrome de Klinefelter - também chamada de trissomia do cromossomo 23, onde o indivíduo do sexo masculino é originado com dois cromossomos X e um Y. Quando tal raridade acontece, o indivíduo (XXY) geralmente é estéril.

Síndrome de Waardenburg - alteração autossômica dominante, relacionada ao gene da cor branca, que causa a despigmentação da retina, surdez ou a perda gradativa da audição.




Autor

Regina Ripamonti

Formada em Biologia e Pedagogia e com mais de 25 anos de atuação na área de Educação, Regina Ripamonti usará seu espírito investigativo e crítico para trazer assuntos de interesse veterinário e de educação ambiental, na busca de redefinição das relações do ser humano com o meio ambiente e a reafirmação de sua interdependência.

Relacionados

Saiba como é determinada a coloração dos gatos
Saiba como é determinada a coloração dos gatos

Degeneração vacuolar hepática em vídeo
Degeneração vacuolar hepática em vídeo

Degeneração vacuolar hepática
Degeneração vacuolar hepática

Porcos transgênicos
Porcos transgênicos

Comentários

Este post não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

 


  Respondendo ...