Regina Ripamonti

Atualidades e Meio Ambiente

Frango sem cabeça... e vivo!

Com toda certeza você já ouviu falar de mula-sem-cabeça e muito provavelmente não acredita nela, então para você existe uma história quase tão fantástica quanto essa, mas incrivelmente real.

  fev 14, 2015     14:21
Frango sem cabeça... e vivo!
Mike, um frango de aproximadamente 6 meses teve sua cabeça extirpada com um machado em 10 de setembro de 1945, por Lloyd Olsen, na cidade de Fruita, Colorado. O frango assim que foi decapitado, saiu correndo e horas depois, foi encontrado dormindo em seu ninho.

Como Mike não podia mais enxergar, Olsen passou a alimentá-lo com uma mistura de leite e água num conta gotas e pequenos grãos de milho, fazendo-o chegar a ganhar quase 2,5 quilos de peso.

Mike foi levado dias depois, para a Universidade de Utah, em Salt Lake City (EUA), e após ser examinado por pesquisadores, teve sua história contada pela Time, Life e BBC, além de citação no Guiness, o Livro dos Recordes. Após ganhar fama, o frango sem cabeça viajou pelos Estados Unidos, onde as pessoas pagavam 25 centavos de dólar para poder vê-lo pessoalmente e também chegou a ser assegurado por US$ 10 mil.

Ocasionalmente Mike ficava afogado com seu próprio muco, que era removido com o uso de uma seringa. Mas em uma de suas viagens, uma partícula em seu esôfago o fez engasgar e ele finalmente morreu.

Após sua morte constataram que a razão de sua sobrevivência sem a cabeça, foi que o corte havia sido realizado bem próximo à base da cabeça preservando um ouvido e grande parte de seu tronco cerebral, que é o responsável pelos reflexos e funções vitais. Um coágulo evitou que ele sangrasse continuamente fazendo-o ter sobrevivido aproximadamente um ano e meio sem sua cabeça.

Anualmente, no terceiro fim-de-semana de maio, em Fruita, é realizado um festival chamado "Mike the Headless Chicken Day" em sua memória (). Até uma canção foi composta em homenagem ao frango, pela banda Radioactive Chickenheads.

Fonte: Mike - The Headless Chicken




Autor

Regina Ripamonti

Formada em Biologia e Pedagogia e com mais de 25 anos de atuação na área de Educação, Regina Ripamonti usará seu espírito investigativo e crítico para trazer assuntos de interesse veterinário e de educação ambiental, na busca de redefinição das relações do ser humano com o meio ambiente e a reafirmação de sua interdependência.

Relacionados

Comentários

Este post não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

 


  Respondendo ...