Marcelo Silva Sader

NetVet News

Ensinar Medicina Veterinária sem usar animais nas salas de aula

CFMV incentiva discussão e produção de métodos alternativos ao uso de animais no ensino

  set 02, 2015     22:37
A sociedade de uma maneira geral está aprendendo a conviver com o fato de que os animais são seres sencientes, ou seja, sentem tudo aquilo que sentimos. Alegria, carinho e raiva são particularmente fáceis de observar através do convívio diário com um cão. Em menor escala, talvez, com um gato.

Mas o que dizer sobre o medo, pavor, desespero e horror. Tornei-me médico veterinário em 1988. Naquela época costumávamos submeter um animal a duas ou três cirurgias seguidas antes de ser eutanasiado. Realizávamos orquiectomia em leitões sem anestesia. Professores levavam os alunos em visita às fazendas da região para praticar descorna em bezerros, com ferro quente em brasa, e é claro, sem anestesia. Certamente os animais ficavam apavorados com nossa chegada.

A discussão ganha força com o apoio do CFMV. Acredito que avançamos muito da área educacional. Podemos usar manequins, modelos fabricados de material plástico, espuma ou mesmo peças provenientes de matadouros.

O grande desafio é aplicar os conceitos de bem-estar animal como profissional, em um país onde as práticas devem estar alinhadas com a redução progressiva dos custos e aumento dos lucros.

Veja mais:
CFMV incentiva discussão e produção de métodos alternativos ao uso de animais no ensino




Autor

Marcelo Silva Sader

Médico veterinário com especialização em análise de sistemas. Foi um dos precursores no desenvolvimento de sistemas para veterinários. Atualmente escreve para o NetVet News e trabalha em aplicativos e aplicações web para o mercado veterinário.

Relacionados

Comentários

Este post não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

 


  Respondendo ...