Regina Ripamonti

Atualidades e Meio Ambiente

Conheça o "coelho mágico" da China

Mais raros do que pandas, essa espécie está seriamente ameaçada de extinção

  abr 10, 2015     17:44
Li Weidong é um conservacionista de sessenta anos de idade. Ele viu pela primeira vez um pika-de-Ili em 1983. Essa espécie é endêmica da província de Xinjiang, no noroeste da China, onde ficou conhecido como "coelho mágico".

Há tipos diferentes de pikas, que são pequenos tipos de coelho com membros curtos e orelhas redondas. A diferença é que o pika-de-Ili, mede cerca de 20 cm, tem orelhas grandes e várias pequenas manchas marrons em sua pele cinzenta. Após descoberta a nova espécie e mais três anos de pesquisa, Li Weidong e sua equipe nomearam o animal pika-de-Ili cientificamente como Ochotona iliensis.

Pouco se sabe sobre ecologia e comportamento do animal, mas os Ochotona iliensis costumam viver em buracos entre rochas nuas, geralmente em altitude de 2.800m a 4.100m (9.200 a 13.450 pés). Eles vivem no planalto extremamente frio e alimentam-se de gramíneas, ervas e outras ervas encontradas nas montanhas Tianshan. São presas naturais de raposas, doninhas e aves.

O maior perigo que enfrentam atualmente, não vem dos predadores, mas sim da diminuição do seu habitat em mais de 71%. A população humana local tem cada vez mais, ocupado a base da montanha.

A última vez que Li Weidong havia avistado o animal foi em 1990. Nessa época, estimava-se que a sua população era de cerca de 2.000 indivíduos, mas de acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), esse número está diminuindo.

Mesmo sendo considerados vulneráveis à extinção, não se pode dizer que o país venha se empenhando para reverter essa situação. Mas Li Weidong espera ainda, poder criar áreas de conservação para a espécie.


Veja mais:
Dramatic decline of the threatened Ili pika Ochotona iliensis (Lagomorpha: Ochotonidae) in Xinjiang, China;
Ochotona iliensis Li and Ma, 1986;
The IUCN Red List of Threatened Species.




Autor

Regina Ripamonti

Formada em Biologia e Pedagogia e com mais de 25 anos de atuação na área de Educação, Regina Ripamonti usará seu espírito investigativo e crítico para trazer assuntos de interesse veterinário e de educação ambiental, na busca de redefinição das relações do ser humano com o meio ambiente e a reafirmação de sua interdependência.

Relacionados

Comentários

Este post não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

 


  Respondendo ...