Regina Ripamonti

Atualidades e Meio Ambiente

"Cecil" não foi a única vítima

O leão mais famoso do Zimbabwe foi mais uma vítima da ignorância, do egoísmo e da covardia humana

  jul 30, 2015     02:53
"Cecil" não foi a única vítima
Cecil era um icônico leão que tinha aproximadamente 13 anos. Famoso por sua distintiva juba preta, era o maior leão do Hwange National Park e considerado o mais belo do mundo. Sua fama trouxe milhões de dólares do turismo para a reserva onde vivia, localizada no Zimbabwe.

Por volta do dia 6 de julho, ele foi atraído para fora dos limites da reserva e morto. Seu assassino foi Walter J. Palmer, um dentista norte-americano de Minnesota, casado e pai de dois filhos, que dirige a clínica dentária River Bluff Dental. Acredita-se que ele tenha pago cerca de USD$ 50.000 para realizar a arco-caça, que ganhou dirigindo uma clínica dentária.

A Task Force Conservação Zimbabwe, afirma que Palmer e Theo Bronkhorst, fundador da Bushman Safaris Zimbabwe, saíram à noite com um animal morto amarrado em seu veículo para atrair Cecil para uma área de cerca de meio quilômetro da reserva. Primeiramente, atiraram com um arco e flecha, sem conseguir mata-lo.

Ao localizarem o leão ferido, aproximadamente 40 horas mais tarde, mataram-no com uma arma". Após matá-lo, abandonaram o leão sem pele e sem cabeça nos arredores do parque. A cabeça do leão foi localizada no Zimbabwe e apreendida para ser usado como prova no inquérito.

Além disso, Cecil usava um colar GPS para rastreamento como parte de um projeto de pesquisa da University of Oxford.Os assassinos tentaram destruir esse colar, mas não tiveram sucesso. Esse colar é que tornou possível traçar seus últimos movimentos. Antes de Cecil, outros 23 ou 24 leões, com colares semelhantes, foram mortos em Hwange.

O leão-africano ainda não está listado como espécie ameaçada ou em risco de extinção, mas já há proposta para listá-lo a partir de outubro. Kathleen Garrigan, representante do grupo ambientalista African Wildlife Foundation, acredita que se essa espécie for incluída na Red List como um animal em risco de extinção, será mais fácil impedir o transporte desses "troféus de caça", pelas companhias aéreas.

Há menos de 20.000 indivíduos de Panthera leo na África e atualmente eles são classificados apenas como espécie vulnerável na IUCN Red List of Threatened Species (Lista Vermelha de Espécies em Extinção da União Internacional para Conservação da Natureza).

As caçadas de Palmer, são costumeiramente documentadas e postadas em sua página no Facebook. Em 2009, ele foi entrevistado pelo New York Times sobre o assassinato de um alce, que faz parte de um livro de recordes por tiro com arco. Esse artigo afirma que Palmer pagou USD$ 45.000 para tomar parte dessa caça e a justificativa pela repugnante atitude, como sempre, é que os recursos seriam usados para ajudar a financiar o habitat alces.

Palmer ainda se encontrava em liberdade condicional por ter mentido às autoridades sobre o local exato onde ele havia matado um urso preto em 2006, no norte de Wisconsin. O porta voz de Palmer tem alegado que ele acreditava estar agindo legalmente.

A Trophy Hunt America e Porcupine Creek Outfitters, empresas que levam a expedições de caça, mostram Walter Palmer em seus álbuns de fotografias, posando ao lado de uma variedade de animais mortos, dentre eles um bisonte de madeira, um leão e um rinoceronte.

Theo Bronkhorst, o organizador da caçada e fundador da Bushman Safaris Zimbabwe e Honest Ndlovu, proprietário das terras, também estão envolvidos na caça ilegal. Juntamente com Walter Palmer, enfrentarão acusações pelo crime de caça furtiva, pois não tinham licença para caçar o leão. Se condenados, eles enfrentarão até 15 anos de prisão. Somente Palmer, ainda não foi detido.

A morte de Cecil é mais um golpe para a economia do Zimbabwe, pois um animal emblemático como esse vale muito mais a longo prazo. Além disso, Cecil era o líder de sua alcatéia e deixou seus 24 filhotes à mercê do novo líder na hierarquia, o leão Jericho. Este provavelmente matará os filhotes de Cecil para compelir as fêmeas, a procriarem com ele. A atitude de Palmer também sentenciou os filhotes à morte.

Campanhas de arrecadação:
USD$ 50.000 to Hunt a Dentist: Para Unidade de Conservação da Vida Selvagem. Ela visa levantar USD$ 50.000, ou seja, o mesmo valor estimado ter sido pago para matar Cecil, para proteger os animais.
Cecil's Legacy: Fundos para educar rangers e moradores

Assine e divulgue a petição online exigindo justiça para Cecil:
Demand Justice For Cecil The Lion In Zimbabwe
Extradite Minnesotan Walter James Palmer to face justice in Zimbabwe


Veja os comentários que estão postando no site da clínica River Bluff Dental de Matthew Weaver


Saiba mais:
Cecil the lion's killer joins long list of big game hunters skewered on social media
Cecil the lion hunter Walter Palmer faces calls for prosecution
The hunter who killed Cecil the lion doesn't deserve our empathy
Norte-americano é identificado como o caçador do leão Cecil no Zimbábue

Videos:
Cecil the lion in Hwange, Zimbabwe
Cecil - the Mighty Hwange Lion RIP
Cecil - Africa's Biggest Lion
Cecil the lion in Hwange
Cecil R I P
Cecil the Lion
Matan al león más bello del mundo




Autor

Regina Ripamonti

Formada em Biologia e Pedagogia e com mais de 25 anos de atuação na área de Educação, Regina Ripamonti usará seu espírito investigativo e crítico para trazer assuntos de interesse veterinário e de educação ambiental, na busca de redefinição das relações do ser humano com o meio ambiente e a reafirmação de sua interdependência.

Relacionados

Entramos em uma nova era de extinções em massa
Entramos em uma nova era de extinções em massa

Caçadores não tem escrúpulos, mas tem medo!
Caçadores não tem escrúpulos, mas tem medo!

Tráfico de animais em garrafas PET
Tráfico de animais em garrafas PET

"O Ano do Lobo-Guará"
"O Ano do Lobo-Guará"

Comentários

Este post não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

 


  Respondendo ...