Regina Ripamonti

Atualidades e Meio Ambiente

Banho, alguns cães amam outros odeiam

A hora do banho pode se tornar um momento de prazer ou de stress, dependendo do animal ou de como o tutor lida com o fato de seu pet amar ou odiar o banho

  ago 12, 2015     22:40
Banho, alguns cães amam outros odeiam
Alguns cães não esperam um convite e acabam fazendo até do seu vasilhame de água uma banheira improvisada. A consequência é que pode lhe faltar água pelo restante do dia, caso seu tutor não esteja por perto para repô-la, ou fazer com que a área de suas refeições vire um caos com risco de acidentes. E ainda com que o animal fique sempre com o odor de "cachorro molhado", acabe desenvolvendo fungos nas patas ou tenha um "inebriante" chulé.

Pior ainda, quando o pet não suporta a ideia de tomar banho! Na realidade, salvo se o animal tiver algum problema em sua epiderme, ele poderia passar sua vida toda sem nunca ter tomado um único banho e isso não seria um problema, ao menos para ele.

Algumas raças não possuem naturalmente um odor desagradável e o banho serve geralmente para o nosso bem-estar e não para o dele. Pois seu odor não o incomoda! O odor canino se origina principalmente dos pelos "mortos". A escovação portanto, pode ser até mais eficaz para essa remoção.

A frequência do banho nos cães, não deve ultrapassar uma vez na semana. Os componentes do shampoo e a temperatura da água elevada, contribuem para o ressecamento da pele ou o surgimento de coceiras e alergias. Além disso, os pelos retêm a umidade do banho e podem fazer com que se desenvolvam principalmente fungos ou ainda alguns tipos de bactérias, que causaram doenças.

Como evitar stress desnecessário

O ideal é acostumar a higienização do animal desde filhote, mas muitas vezes o cão só chega em nossos lares, já adulto, mas nem por isso o caso está perdido.

A cadela geralmente lambe seus filhotes na região perianal e genital, após a mamada, para estimular o neonato a urinar e defecar. Ela então, lambe-os novamente fazendo a higienização. Caso isto não ocorra, o cuidador deve-se estimulá-los passando nesta região um algodão umedecido com água morna e fazê-lo novamente após, como a mãe faria. Se perceber que o filhote está com frio ou tremendo, envolva-o imediatamente em um cobertor quente. A hipotermia é sinal de morte iminente!

Até completar os dois meses de idade, o sistema imunológico canino ainda não está plenamente desenvolvido, portanto não é recomendável que se dê o banho convencional. Os filhotes recém-nascidos não conseguem regular sua temperatura corporal eficientemente. Ao limpá-lo certifique-se de que ele esteja completamente seco antes de colocá-lo de volta.

Como higienizar filhotes

1ª Com algodão embebido em água morna.

2ª Com lenços umedecidos próprios para cães ou toalhas, preferencialmente semi-aquecidos.

3ª Com algodão, lenços ou toalhas, embebidos em soro fisiológico.

4ª Para limpar os olhos, algodão com solução de ácido bórico.

5ª Para limpar fezes presas à pele, use um pouco de óleo mineral sobre a área e deixar descansar por uma hora, depois use algodão para retirá-la.

6ª Banho Seco: O chamado banho seco é feito com produtos aplicados diretamente na pele do animal e que não precisa ser enxaguado. Aplique sempre das pontas para o centro, para que o animal se acostume com a aplicação. Proteja sempre a região dos olhos!

Banho Seco Industrializado: Geralmente eles são vendidos em embalagens com spray, bastando aplica-lo diretamente sobre o animal. Outros produtos exigem que as pessoas esfreguem um pouco para que reajam melhor e isso vem especificado nas instruções do produto. Inicialmente você precisa testar se o produto causa algum tipo de alergia em seu animal. Isso ocorre raramente, mas pode acontecer. Antes da primeira aplicação, coloque colocar um pouco do produto apenas em uma pequena quantidade da pele do animal e espere até dois dias para testar se ele não provoca qualquer reação alérgica. Caso nenhum problema aconteça, aplique o produto conforme orientação da embalagem.

Banho Seco Caseiro ou Natural: Assim como no caso do produto industrializado, você precisa testar se o mesmo causa algum tipo de alergia em seu animal.

Receita A: Apesar de ser um produto mais econômico e com menos possibilidade de causar qualquer intoxicação e embora contenha álcool que auxilia na secagem, esse não é exatamente um banho seco. Portanto, será necessário secar bem o animal para que o mesmo não adoeça. Misture os ingredientes e aplique a solução no corpo do animal sobre as partes sujas evitando a cabeça e principalmente a região dos olhos. Descarte o que sobrou.

Uma parte de água morna
Meia parte de vinagre branco
Meia parte de álcool de cereais

Receita B: Passe o amido de milho com a ajuda de uma escova macia, pelas partes do corpo com sujidade. Para filhotes muito pequenos, a escova pode ser dental. O amido de milho ajudará essas sujidades a se desprenderem do pelo, assim como retirar a umidade. Ele é indicado principalmente quando o pelo está com a textura colante. A escolha do amido de milho se dá, principalmente por ser inodoro e por não causar risco de alergias, nem de intoxicações caso o animal venha a lamber seu pelo.

Amido de milho
1 Escova macia

Primeiro Banho

Após os 2 meses, de serem dadas as vacinas, consulte um médico veterinário sobre as condições de saúde de seu filhote para saber se já está apto a tomar seu primeiro banho.

Inicialmente recomenda-se que o banho ocorra a cada 15 ou 20 dias, dependo do local onde o animal frequenta. Os banhos devem ser dados rapidamente e num ambiente tranquilo, onde o animal se sinta seguro, para que a experiência seja, a mais prazerosa possível. Deve-se escolher preferencialmente uma manhã ou tarde de um dia quente e se possível associem o banho a uma atividade agradável como um passeio no parque ou receber uma guloseima.

O primeiro banho, deve se parecer com uma brincadeira. Lave apenas algumas partes do corpo, preferencialmente não molhando a cabeça. Deixe que o cão lamba a água, nesse momento, o mais importante não será a que ele sai do banho totalmente limpo, mas sim, que se sinta confiante, tranquilo e que saia relaxado.

Sempre escolha produtos de boa qualidade, para minimizar a possibilidade de causarem alergias e certifique-se que o pelo e a pele ficaram bem secos e não ressecados. Evite perfumar o animal nas primeiras vezes, pois isso em geral os desagrada.

Higienização dos dentes

Utilize inicialmente uma dedeira, com creme ou pasta própria para cães. Quando ele já estiver num tamanho adequado às escovas para pães utilize-as também fazendo uso dos cremes ou pastas específicas para cães, pois os de uso humano contém flúor que ao engolir pode intoxicar o cão.

Obviamente o ideal é acostumar o cão desde filhote a escovar os dentes todos os dias, porém nem todo cão é adotado desde filhote e muitas vezes é necessária muita persuasão para fazer uma escovação sem machucar a gengiva do animal. Procure fazê-la o maior número de vezes conseguir e utilize biscoitos para cães e os ossos artificiais específicos para a limpeza dos dentes caninos.
Consulte periodicamente um médico veterinário com especialização em Odontologia para cuidar dos dentes do seu cão e prevenir problemas dentais e orientá-lo.

Limpeza das orelhas

Antes de iniciar banhos úmidos, você deve leva-lo à uma consulta com seu médico veterinário, o qual irá orientá-lo, se há necessidade de utilizar algum produto especifico para a higienização dos ouvidos de seu pet. É recomendável a utilização de um chumaço de algodão hidrofóbico em cada orelha para evitar que entre umidade e retire-o após o banho.

Se o cão não gosta de banho ou de limpar o ouvido, ou vice-versa, procure não fazer os dois na mesma situação para não ocorra uma associação ou no caso de não gostar de nenhuma das duas coisas, para não aumentar o stress. O mesmo vale para o corte de unhas.

Como lidar com um cão que odeia banho

Mesmo alguns cães que adoram água, podem odiar o banho. Isso pode acontecer se o cão relacionar o banho a algo desagradável. Ás vezes ele adora água, mas não gosta de perfume, ou de limpar as orelhas, cortar as unhas, ser secado com ar quente, passar frio, ter a soneca interrompida, medo de escorregar no box ou banheira e outros.

Nunca chame duas vezes seu cão para o banho! Chame-o uma única vez, caso ele não colabore conduza-o fisicamente. Não use o banho como ameaça!

Tente outras opções para higienizar seu pet, caso o banho tradicional seja atualmente uma forma de tortura para você, para o seu cão ou para ambos.

Se o estrago já foi feito, não desanime, dessensibilize seu pet tentando descobrir quais as situações que realmente lhe desagradam no banho. Investigue! O tutor pela proximidade e intimidade com o cão, o médico veterinário e o tosador pela experiência com animais variados, juntos, todos podem trabalhar para fazer com que seu amigo não se pareça com um Cas...cão.

Vídeos:
Bobby Salsicha, vamos tomar um banho
Convencendo a Vitória a tomar banho
Depois falam que cachorro não gosta de tomar banho
Pinky tomando banho na sua 'piscina'
Cachorro que adora tomar banho
O cão que adora tomar banho
Os cães não gostam do banho... Compilações engraçadas dos patudos
Cão finge de morto para não tomar banho
Crimson wants a bath




Autor

Regina Ripamonti

Formada em Biologia e Pedagogia e com mais de 25 anos de atuação na área de Educação, Regina Ripamonti usará seu espírito investigativo e crítico para trazer assuntos de interesse veterinário e de educação ambiental, na busca de redefinição das relações do ser humano com o meio ambiente e a reafirmação de sua interdependência.

Relacionados

Comentários

Este post não possui nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

 


  Respondendo ...